O que é SSD M.2 e como funciona?

Tempo de leitura: 3 minutos

SSD M.2 Samsung
SSD M.2 da Samsung

Se você sabe o que é um SSD (unidade de estado sólido), provavelmente já deve ter ouvido falar do SSD M.2.

Os SSDs podem utilizar duas tecnologias: Mini-SATA ou mSATA (a mais antiga) e M.2, considerada a tecnologia mais recente.

O tipo de unidade interfere na capacidade de armazenamento e desempenho do SSD.

O termo M.2, também conhecido como Next Generation Form Factor (NGFF), se refere a uma conexão interna que se aplica a diferentes tipos de placas adicionais, como Wi-Fi, Bluetooth, navegação por satélites, entre outros.

A conexão M.2 também possui algumas especificações exclusivas para unidades de SSD.

SSD M.2 da Kingston vendido pela bringIT

 Por que o formato M.2 foi criado?

A conexão M.2 foi lançada para substituir as conexões Mini-SATA ou mSATA.

Diferentemente do mSATA, o novo formato passou a oferecer múltiplas opções para placas de pequeno porte, a exemplo dos SSDs.

Anteriormente, os SSDs contavam com a unidade mSATA para pequenos formatos. No entanto, com o desenvolvimento da capacidade dos SSDs para 1 TB, a aplicação desse tipo de conexão ficou inviável devido ao alto custo.

A nova especificação permite tamanhos e capacidades diferentes para unidades SSD. Além disso, ela também possibilita que os fabricantes de computadores padronizem sua produção em um pequeno formato que pode ser ampliado de acordo com a capacidade desejada.

Desse modo, ao adquirir um uma unidade M.2 com tamanho maior, não haverá problema de falta de espaço.

SSD mSATA e SSD M.2 lado a lado, na palma de uma mão masculina.
mSATA a esquerda, M.2 a direita

Principais vantagens do SSD M.2

Tamanho pequeno

O tamanho é um dos principais diferenciais dos SSDs M.2.

Os novos drives oferecem um espaço maior de armazenamento e ocupam menos espaço físico, podendo ser utilizados em diferentes dispositivos, desde computadores desktop até ultrabooks super finos.

Dimensões de SSD M.2

Os tamanhos mais comuns são:

  • 22 mm de largura x 30 mm de comprimento
  • 22 mm x 42 mm
  • 22 mm x 60 mm
  • 22 mm x 80 mm
  • 22 mm x 110 mm

Os primeiros dois dígitos correspondem à largura (22 mm), enquanto os dígitos restantes são referentes ao comprimento, que pode variar de 30 até 110 mm.

Quanto mais longa a unidade, mais chips NAND Flash podem ser inseridos no componente, além de um controlador e um chip de memória. Assim, os maiores formatos de M.2 podem suportar unidades de SSDs com maior capacidade.

Não é necessário usar cabos

Outro ponto importante é que a conexão M.2 consegue realizar a leitura de dados armazenados sem a necessidade de um controlador específico. Ou seja, não são necessários cabos de energia ou de dados para conectar o drive, já que a sua conexão é feita por meio de um soquete, o que torna desnecessário o gerenciamento de dados.

Compatibilidade do SSD M.2

A conexão M.2 suporta dois tipos de interfaces de armazenamento: SATA e PCI Express. A principal diferença entre elas é o desempenho e o protocolo (idioma) “falado” pela unidade SSD.

Há controladores projetados especificamente para cada interface. No quesito protocolo, é importante lembrar que a maioria das unidades SSD suporta apenas um dessas interfaces (SATA ou PCIe), mas não as duas ao mesmo tempo.

Por isso, verifique no manual quais são as tecnologias que a unidade suporta.

Quanto ao desempenho, a interface PCIe é considerada a mais rápida. Enquanto uma SATA 3 tem sua velocidade limitada a 600 MB/s, o modelo mais recente da PCIe pode chegar a uma velocidade de até 2000 MB/s.

Sistemas compatíveis

As interfaces SSD M.2 SATA e PCIe são compatíveis com as placas que utilizam Intel z97 e AMD FX 990.

Há também muitos notebooks já são compatíveis com a tecnologia, principalmente os mais modernos.

No entanto, é importante verificar as especificações do computador e o manual do usuário para confirmar a compatibilidade.

Fontes: Adrenaline e Kingston

Imagens: Hardware

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *